Imagens

9.11.10

HISTÓRIA REAL - TROCA TROCA INESQUECÍVEL

TROCA - TROCA INESQUECÍVEL

Meu nome é Debborah e sou casada ha 5 anos com o Paulo. Conheci o Eduardo no meu trabalho após umas mudanças na empresa . O Edu era um antigo cliente da empresa que trabalho, mas até então só tínhamos nos falado por telefone. Após essas mudanças, pude conhecê-lo pessoalmente e, a partir daí, estreitar um pouco mais os laços de amizade. Quando ele comprou uma casa em Búzios, ofereceu-a logo a mim para passar uma temporada lá com o meu marido e conhecer as praias que até então não conhecia. Não demorou muito e num feriado prolongado alugamos a casa dele para descansarmos. Fiquei impressionada com a casa. Os quartos eram enormes, a sala grande e uma varanda maravilhosa com churrasqueira. Foi um feriado inesquecível pra mim e pro meu marido, o Paulo.
Ao voltarmos para SP, fui até a casa do Edu devolver as chaves e me deparei com uma linda mulher, loira, alta e magra, porém com curvas bem definidas. Certamente não aparentava a idade que tinha, 42 anos. Era a esposa de Edu. Eram casados há mais de 10 anos. katia me recebeu muito bem e já foi logo me pedindo para entrar e conhecer o restante da casa. Enquanto isso, na cozinha o Renato preparava uma bebida para me receber.
Em conversas anteriores, o Edu já havia me confessado que teve casos extra conjugais e a esposa dele até que gostava, pois também gostava de sair com outros homens. Era um casal liberal, porém sempre muito discreto.
As conversas pessoais no horários de expediente e conversas telefônicas começaram a ficar ainda mais frequentes após nossa estada na casa de praia deles. Confissões e segredos de ambos começaram a vir a tona, o que mexia demais com a minha imaginação. Como um casal lindo daqueles tinha uma vida tão intensa, “descolada” e feliz. A cada visita que eu recebia de ambos, me deixava cada vez mais excitada e curiosa a ponto de me pegar sonhando com eles durante o dia. O bom é que Paulo também gostava deles e os admirava como eu, além de eu ter pego meu marido olhando a bunda da Katia por diversas vezes, o que me deixava entusiasmada em saber que não era só eu que tinha certos desejos pelo cônjuge do outro...
No Carnaval de 2008 recebi uma ligação do Edu, em meu celular, dizendo que havia feito algumas reformas na casa da praia e queria receber nossa visita para um churrasco entre amigos. Disse que iria mais um casal com eles também. Percebi que seria algo bem descontraído e detectei uma certa sacanagem ao ouvir “Depois da 3° tequila, não responderei por mim e nem deixarei que respondam por você”. Aquilo foi o ápice da conversa. Meu dia estava ganho. Estava excitadíssima para o feriado de Carvanal. Certamente dias quentes teriam por lá.
Chegamos no sábado a tarde na casa, eles já nos esperavam com o churrasco pronto, mas a Katia disse que o outro casal não poderia vir e ainda remendou em tom de piada “na verdade a gente armou tudo mesmo pra pegar vocês”. Demos risadas, comemos e bebemos muito. O calor estava insuportável. Eu estava só de biquini e uma canga curta cobrindo o bumbum. O Edu estava só de sunga branca, e molhada ficava um pouco transparente, o que fazia eu não resistir e olhar aquele “volume” de rabo de olho.
Já quase de noite, Katia foi tomar uma banho na suíte do casal e disse que não conseguia ligar o ar condicionado do quarto. Chamou o Edu, que disse estar preparando uma bebida para mim e não podia atendê-la, então, ele sugeriu que o Paulo fosse ajudá-la. Enquanto ela tomava banho, Paulo ligava e regulava o ar condicionado para refrescar o quarto. Pude ver pela janela apenas ela saindo do banheiro completamente nua, exibindo-se para o meu marido que já estava de pau duro só de ouvir o chuveiro dela ligado. Ela se deitou na cama e disse pra ele apagar o fogo dela. Nisso senti o Edu atrás de mim com a bebida em uma mão e fechou a janela do quarto passando seu braço sobre meu ombro. Pude sentir seu pau latejando na minha bunda. Ao fechar a janela, ele passou a mão na minha barriga me apertando ainda mais contra seu pau e desceu para acariciar minha xaninha delicadamente. Nestas carícias, ele ainda servia o coquetel na minha boca deixando escorrer um pouco pelo meu corpo començando a me chupar desde o pescoço até chegar na xana. Tirou a minha canga e me colocou sentada em uma das cadeiras que tinha na varanda. Tirou meu biquini bem delicadamente, abriu minhas pernas e disse “este carnaval será inesquecível para mim, quero torná-lo inesquecível para você”. Eu já estava mais do que excitada, estava louca de tesão. E em uma chupada, pude sentir meu gozo escorrendo e ele se deleitando com isso. Puxou-me com força me levantando e me encostou na parede. Daí pude ver o tamanho daquele pau enorme olhando pra mim. “eu vou te comer”,”me come”. Ele sacou uma camisinha e quase entrei em êxtase só de vê-lo encapar o bicho. Me levantou de uma forma tão perfeita, encaixando direitinho meu corpo no seu e me penetrou com tanta força que eu quis gritar de tanto tesão. Começou uma vai e vem maravilhoso que me levava às nuvens. De repente ele me pegou e me virou de costas, levando-me até a mesa e me debruçou. O vai e vem continuou cada vez mais forte. Sentia o se pau latejando dentro de mim e eu rebolava mais e mais pra sentir cada bombada. Ele pressionava meu quadril contra a mesa e socava seu pau na minha buceta até não segurar mais. Me levantou puxando meu cabelo e gozou. Caimos quase que desfalecidos na rede. Ele pediu pra eu deitar em cima dele. Foi o que fiz após pegar o copo de drinque e bebericarmos um pouco mais. Enquanto ele estava deitado na rede, sentei-me montada nele e acendi um cigarro. Olhando para aquele tórax maravilhoso, senti seu pau me convidando pra mais uma rodada. Foi uma cavalgada devagar enquanto dividíamos o mesmo cigarro. Levantei e me virei sobre ele fazendo um delicioso boquete. Eu chupava aquele pau com tanto gosto que ele não conseguiu segurar o gozo e esporrou minha boca. Deixei ela escorrer pelo meu pescoço para sentir aquele cheiro de sexo maravilhoso no meu corpo todo enquanto ele também me chupava. Ele me penetrou mais uma vez e fomos para o chuveiro tomar uma banho erótico. A Katia entrou no banheiro de surpresa. Ele me virou de costas e encostou seu pau na minha bunda fazendo carícias com ele enquanto Katia entrou no chuveiro e começou a me beijar loucamente. Fizemos um sanduíche. Enquanto eu estava de costas pra ele, ele me penetrava e ela me chupava inteira. Não resisti. Fiquei de quatro pra ele me comer e chupei ela toda. Quando ele gozou, saiu do chuveiro e foi para o quarto esperar por nós duas na cama. katia me beijava tão intensamente e me pegava por trás fazendo-me uma deliciosa e delicada siririca. Saímos do chuveiro e me deitei no sofá da sala só de roupão enquanto via ela fazer um boquete no meu marido. Juntaram os três no quarto fodendo ela e eu fiquei olhando enquanto bebia uma dose exagerada de Vodka. Estava com tesão, mas exausta de toda aquela atividade. Então o Edu saiu da cama e veio sentar-se do meu lado. Ele pediu pra que eu montasse nele sem que fizéssemos nada. Apenas ficariamos “engatados”. Doce ilusão. Não resisti. Eu queria gozar. Queria o Edu dentro de mim me fazendo enlouquecer mais uma vez e foi o que ele fez. Me colocou de quatro no chão e lubrificou meu cu. Fez meu marido me penetrar o buceta enquanto comia meu cu e Katia chupava meus seios. Disseram que foi meu castigo por não ter participado na hora da cama. Uau. E que castigo ser comida por três de uma vez só!!! O tesão era tanto que eu nem pensava mais. Senti o Edu arrancando a camisinha e gozou nas minhas costas, fazendo com que Katia lambesse toda a sua porra em mim e foi o que ela fez. Caímos os quatro nus no chão da sala e ficamos lá por um bom tempo sem dizer uma palavra sequer. Katia pediu para me dar uma banho a sós. Fomos para o chuveiro e relaxamos um pouco na cama. Logo depois eles vieram, e, deitaram-se conosco. Quando percebi que o pau do meu marido, estava duro de novo. Eu e a Katia, ainda exaustas, nos viramos e tiramos o corpo fora. Daí o meu marido tbm deitou. Quando acordei vi Katia sentada na pica do meu marido e me acariciando. Depois eu conto o resto...

.

Nenhum comentário: