Imagens

17.3.11

Minha vizinha gostosa



A história que vou contar agora aconteceu já a algum tempo e é verídica. Eu tinha uma vizinha que morava quase em frente a minha casa e ela trouxe a sua irmã do Ceará pra passar uns dias com ela. Essa moça vivia mexendo comigo quando eu passava e sempre que ouvia o barulho do meu carro saia pra porta da casa dela e ficava se insinuando. Eu não dava bola pois ela não era bonita de rosto, mas em compensação tinha um corpo maravilhoso só andava de mini saia. Naquela época eu namorava uma loira muito bonita e transava-mos muito, sempre q dava estava-mos transando no carro, motel drive, nas nossas casas e em qualquer lugar.

Em uma noite de sabado ficamos um tempão esperando os familiares dela sairem pra começar-mos a festinha. Depois de muito esperar eles sairam e mal cruzaram a porta já estava a maior pegação. Ela morava numa casa bem grande, com uma sala enorme e foi lá mesmo. Coloquei ela sentada num murinho do jardim dentro da sala, segurei suas pernas e fiquei brincando com a cabeça do danado na portinha e cada vez mais ia colocando um pouco, quando coloquei td escutamos o portão automático abrir. Ficamos desesperados e colocamos a roupa rapidamente, mas não tinha ninguém e ao voltar-mos pra sala pude ver q na hora da empolgação ela esbarrou no controle remoto e foi por isso q o portão abriu. Quis continuar, mas ela alegou estar nervosa e não quis mais. Fiquei puto e fui pra casa.

No meio do caminho lembrei da vizinha que sempre q houvia meu carro saia pra me ver e como estava de pau duro louco pra foder alguém pensei q seria com ela mesmo.

Não deu outra, quando parei em frente minha casa, pra abrir o portão, ela apareceu. Guardei o carro, fechei o portão maior, e, abri o pequeno ao lado. Olhei pros dois lados da rua e vi que não tinha ninguém, sinalizei pra ela vir e ela obedeceu.

Minha garagem ficava bem escura se ninguem acendesse a luz e meu pai na época tinha uma Kombi o que ajudava pra ninguém que passasse na rua visse.

Quando ela entrou na garagem pude ver melhor como ela era gostosa, tinha umas coxas bem grossas e um rabo muito bom, o ruim foi o cheiro forte de perfume barato rsrsrs, mas sem problemas.

Ela era bem baixinha devia ter no máximo 1,55 (adoro baixinhas) já fui logo dando um beijão nela e disse "vc vive mexendo comigo, agora vc vai ter o que quer". Tirei a tora pra fora e peguei a mão dela e coloquei nele, ela apertou com muita força, mas estava tão duro q nem senti. Abaixei a cabeça dela q relutou um pouco, mas como sou mais forte não teve jeito, caiu de boca. Chupava meu pau com muito gosto, ela gostava do q estava fazendo. Deixei mamar um pouquinho só, pq eu queria mesmo era foder. Enfiei a mão por baixo da saia dela e tirei a calcinha minuscula q ela vestia. Ela dizia para, para e virei ela de costas pra mim deitei ela no capô do carro, ela tentava sair e dizia pra eu parar, abracei bem forte a cintura dela com o braço direito de uma forma que ela não conseguiria fugir e com a mão esquerda peguei meu pau e coloquei na entradinha, dei uma pincelada e pude ver o quanto ela estava molhada e soquei de uma vez só q ela deu um gemido bem alto. Disse "vc não me queria, agora tem" e fui socando e quanto mais socava mais ela dizia não para. Essa mulher gozava muito e isso me deixava doido. Depois sentei ela no capo do carro e continuamos. Era uma coisa louca, ela arranhava minhas costas e gemia muito. Voltei na posição com ela de costas soquei um pouco depois tirei o pau pra fora e pincelei no cuzinho, quando ela dizia ai não já era tarde e q cuzinho gostoso apertadinho. Não aguentei comer muito o cuzinho dela pq estava muito intensa a coisa e logo pedi pra ela virar de frente e gozei no rosto dela, foi muito bom.

Depois disso transamos muitas outras vezes e a minha situação estava muito boa, pq eu transava com a minha namorada e quando ia pra casa tinha o segundo tempo com ela. Isso durou uns seis meses até ela ter q voltar pro Ceará ai minha festa acabou. Mas valeu muito a pena. Ela tinha muuuiiiito fogo.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Conto enviado por usuário anônimo

Nenhum comentário: