Imagens

11.3.11

NA PRAIA


Somos casados ha 14 anos, com filhos, e swingers praticantes. Desde nosso namoro gostamos de ir além em nossas fantasias e o exibicionismo foi a porta de entrada, curtiamos lances no carro e em locais inusitados para me exibir e provocar. Foi mais ou menos um ano depois de casados que tive uma experiencai inesquecível, era uma noite de sábado, eu que trabalhava em um banco combinei com alguns colegas de trabalho ir à uma danceteria na cidade de Guaruja, onde moramos desde que casamos, iriamos todos em casais e nos encontraríamos em nosso apto para de lá seguirmos ao local escolhido por todos, mas por sudestão de uma colega e seu marido acabamos mudando os planos e rumamos para uma boite na cidade de São Vicente, na Ilha Porchat. Lá nos divertimos muito, dançamos, comemos algo e bebemos a vontade, eu que estava com um vestido preto, bem colado ao corpo, com uma gargantilha como acessório do vestido também preta, e sandálias de salto alto, embora estivesse na medida certa, sabia o quanto estava provocante devido aos inumeros olhares que percebi despertar. Com o passar das horas, e após todos se darem por satisfeitos com a noitada, começamos a preparar as despedidas entre todos, e fomos aos poucos saindo da casa. saimos por ultimo com mais dois casais amigos e nos despedimos no estacionamento da boite pois seriamos os unicos a rumarmos a uma cidade mais distante, onde morávamos. Entramos em nosso carro e descemos a Ilha Porchat, e resolvemos dar uma parada em um estacionamento, então ainda permitido, na faicha de areia da praia. Eu estava acesa e alegrinha e provovando o maridão, logo que entramos na areia da praia, estacionamos nosso carro num local entre dois quiosques avistando outros dois carros parados mais ao longe, e começamos nossos amassos, éramos casados e tinhamos nossa casa e nossa privacidade para encerrarmos a noite a dois, mas o que queriamos mesmo naquele momento era o inusitado, aquilo que sempre curtimos... Estávamos ja altamente excitados quando ouvimos o som de motor de um carro que se posicionava ao lado do nosso, paramos e observamos que so tinha um ocupante, e ele olhava atentamente para nós. ficamos estudando a situação e notamos que se tratava de um voyeur, o chamado punheteiro, comportamento ja conhecido por nós pelas caracteristicas singulares que curtem apenas observar e se extasiar assistindo casais, estava numa pick up branca o que dava ideia de um nivel aceitável, e eu fiquei ainda mais acesa ao ver que ao descer o vidro da janela, se tratava de alguem de ótima aparência. baixei o vidro da minha janela e começei o que sempre adorei fazer, a me exibir e provocar. fiquei de joelhos no banco, voltada para meu amado, e chupava seu pau cehia de tesão, ele levantou meu curto e justissimo vestido e expos meu bumbum (que é bem volumoso), pouco protegido por uma minúscula calcinha fio dental, toda enterrada e que ja estava é claro, enospadíssima com todos os encantos daquela noite. e ouvia a narrativa do meu maridão quanto ao comportamento do nosso amigo voyeur, até o momento que ele me disse... O cara abriu a porta e esta com o pau pra fora, punhetando, eu me virei e fiquei olhando, ele ecendeu a luz interna do carro e exibiu uma rola grande e extremamnete excitada, balançando para eu ver... meu marido então sugeriu, vamos sair do carro e ir atrás do quiosque, ver no que dá... e assim fizemos, com nosso amigo vindo logo após, ficamos nos amassando encostados no quiosque e o voyeur encostou uns mais ou menos a uns 2 metros, e retirando o pau que havia guardado sob a calça iniciou nova masturbação... eu tirei meu vestido e fiquei apenas de calcinha e sandalia, me ajoelhie e abocanhei meu marido, chupando aquela rola que eu havia escolhido para ser minha sempre, o nosso colega aproximou-se lentamente e ficava olhando mais de perto e punhetando sem parar, eu então não resistindo ao momento fiz o que ainda nunca havia feito, virei-me para ele e esticando um braço alcancei com uma das mãos aquela rola enorme, puchando para vir ao encontro de minha boca, ele deu-me para mamar, uma rola grande e grossa, bem maior que a do meu querido maridão, eu chupava cheia de tesão, meu gato se afastava de tempo em tempo para observar se alguem poderia estar se aproximando por tras do quiosque, e voltava para agora, ele ficar assistindo e se punhetando, foi quando ouvimos som de moto se aproximando e rapidamente paramos, nos recompondo, ficamos os tres ali lado a lado, eu ao meio para protegida pelos meu dois homens naquele momento, ainda so de calcinha. Notamos que era um cara moreno que estacionára sua moto perto, desceu e foi pouco mais à frente e em direção ao mar e retornou, ficando encostado em um quiosque ao lado do que estávamos, e é claro sabia que do que se tratava a presença de nós tres ali. Como a luminosidade era bem pouca, não dava para identificação dele e nem dele para com nós, nem sabia se ele havia notado como eu estava naquele momento. Eu estava muito excitada e ainda sob o efeito inebriante dos drinks que havia tomado, e não quis parar, anunciei ao meu marido que queria continuar, e abaixando-me novamente reiniciei a mamada que estava me pondo louca naquele momento, ai meu marido e nosso companheiro ali comentaram que o nosso outro observador ja estava com o pau na mão também, era um outro voyeur, eu chupava aqueles dois paus duríssimos a minha disposição, aí o nosso amiguinho desceu para a faixa de areia, pois onde estávamos era uma parte mais alta, e comigo em pé beijando meu gato, ele passou a me chupar por trás, no cuzinho e na bocetinha, eu me curvava e me oferecia mais e mais, resolvi então tirar a calcinha e fiquei completamente pelada, com dois homens e um amiguinho na platéia, foi então quando vi meu maridão se afastar em direção ao outro cara e voltou com ele, mais de perto pude vê-lo mais nitidamente, um moreno bem apessoado, bem vestido e que segurava numa das mãos uma rola também menor que a do primeiro, mas extremanete grossa, daquelas que nem se imagina que possa existir. Eu passei a chupá-la feito uma louca, e me sentia como a mulher mais vadia e mais amada do mundo naquele momento, pelada, na praia, sob a testemunha de muitas estrelas com dois homens extranhos, e de rolas enormes, com meu marido consentindo a tudo e sendo devorada por dois garanhões que me enchiam de beijos, elogios e se revezavam, em lambidas, beijos, chupadas... meu gato foi rapidamente ao nosso carro ali ao lado e voltou com os preservativos que garantiriam aquilo que eu estava desejando mais que tudo naquela hora, eu fui penetrada de todas as formas e todos os jeitos, era carregada por eles, foram tantas posições que as vezes nem lembro de todas, da sequencia de cada uma delas, eu sempre gozei muito rapido e por ser multiorgásmica fico exaulsta ao final de cada trepada, mas ali eu queria mais e mais, sentei-me em um deles que havia sentado na mureta/passeio do quiosque vindo o outro por trás me penetrando com muito maestria e carinho, numa dupla penetraçaõ alucinante, meu marido veio em pé e ofereceu-me sua rola para uma chupada eue ali com duas rolonas enterradas nas extranhas e uma rola na boca tive orgasmos alucinantes, foi quando um deles anunciou o gozo e foi seguido pelo outro, eles urraram de tesão e senti muito leite jorrrar na minha boca, eu goazando como nunca bebi cara gota do maridão e ficamos uns breves instantes paralisados... levantei-me meio tonta e exausta, os dois se levantaram se recompondo, trocaram breves palavras

Nenhum comentário: